Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

Indicação: Cheiro de Tinta, Wigvan...

Bom dia pessoal!
Hoje venho trazer um pouco de cultura, responsabilidade social e um trabalho maravilhoso do escritor Wigvan Pereira, que além de tocar nos assuntos mais polêmicos sem pesar, faz isso com sensibilidade e muito carinho. Esse é o resumo de tudo que ele escreve, uma conversa frente à frente e olhando nos olhos com cuidado ao dizer cada palavra.

Para maiores informações sobre o E-book acesse o site Cheiro de Tinta, que tem até uma trilha sonora de arrepiar para acompanhar a obra, além de comentários, detalhes sobre o autor, obra e fotos bem legais.
E para os que se interessaram, a renda do E-book vai ser revertida para o projeto social SalvaCão então entre aqui para COMPRAR O LIVRO!

Sinopse:
A população da Rua G se divide em três grupos: uma única família que tem um salão anexo à garagem, as outras casas todas habitadas por mulheres e os homens que visitam as casas das mulheres de madrugada ou o salão durante as tardes.

A geografia daquela rua é composta por calçadas onde as mulheres, quase todas jovens, conversam em seus momentos de folga, um terreno baldio onde vez ou outra aparece um bebê não querido e uma casa quase sempre inabitada.

A única criança que mora ali, um menino, transita por todos esses espaços - calçada, salão e terreno baldio - acompanhado de seu coelho.

Também passa a frequentar a casa de Célia quando ela volta do estrangeiro. Visita constante para ouvir música e ler revista de novela, o menino acaba por descobrir, entre as frestas, que Seu Gaspar, marido de Célia, esconde um segredo.

Um episódio envolvendo Dylan, o cachorro que para Célia e Seu Gaspar é um filho, e Algodão, o coelho do menino, traz à tona o racismo e a intolerância que até então todos extravasavam apenas em rabiscos na parede da frente da casa dos vizinhos indesejados.


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!