Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

Dona Constância...

Vintage Ladies.
Artista desconhecido.
    Minha rotina não é das mais regradas, nem mesmo pode-se dizer que tenho muita amizade com a menina Disciplina, afinal de contas, não tenho um horário certo para nada por causa do ritmo do dia a dia que me obriga a estar preparado para tudo, em qualquer lugar à qualquer hora. Mas certo dia eu recebi a visita de uma senhora muito tranquila, a dona Constância, que me deu uma verdadeira aula de viver bem. Ela não veio sozinha, afinal de contas é uma mulher sábia, então antes de tomar qualquer atitude ela me apresentou para a madame Prática, que além de cheia de energia, me cativou com sua boa forma. Ela já chegou me dando bronca, dizendo que não tem hora nem lugar certo para ser uma pessoa ativa e para fazer o que for necessário para atingir os objetivos. Me colocou de pé e mostrou alguns exercícios e dicas simples para manter meu corpo sempre pronto para tudo. Ressaltou:
- Nem sempre você vai poder fazer de tudo, mas a prática vai te levar longe!

    Dona Constância riu sozinha da madame Prática, uma senhorita muito espevitada. Logo em seguida me apresentou a senhora Serenidade. É a calma em pessoa, e trazia consigo uma mala bem grande. Pegou minha mão e pediu que eu sentasse na poltrona da sala, onde era mais confortável, abriu sua mala e me entregou um livro. - Vá foleando, acredito que seja uma leitura que o agrade, enquanto isso, vou preparar um chá para todos nós. Com licença. - Foi-se para a cozinha. O livro que me entregou era na verdade uma enciclopédia que, sim, muito me interessava. Abri numa página que falava sobre a necessidade de beber água, explicava as necessidades do corpo: muita água, atividades físicas, descanso, e para a saúde da mente o estudo, o contato social e o lazer. Serenidade voltou com um chá de erva cidreira, quentinho e muito gostoso, todos tomamos, mesmo que a madame Prática tivesse feito cara feia. Então Serenidade completou:
- Ah meu rapaz, nada melhor para nossa saúde que um pouco de paz e serenidade, a leitura e os amigos nutrem corpo e alma como um todo, sem esquecer de beber muito líquido e descansar , nem mais nem menos, que o suficiente.

    Ao dizer isso, a menina Disciplina pulou no seu colo e acariciou seu rosto com calma. Ela era muito calma, mesmo que cheia de energia, não era agitada demais. Tão nova e tão sabida, fazia tudo com muita atenção e dedicação. Dona Constância pegou-a do colo da Serenidade, abraçou-a firme perguntando: - O que essa menina tem para nos contar, hein? - Disciplina me olhou com brilho no olhar, pediu para descer e veio ao meu encontro. Pegou minhas mãos e disse devagar:
- Sei que não te conheço bem, mas não confunda disciplina com tempo certo ou falta de aparelhos ou ferramentas para fazer o que se quer. Disciplina é não ter desculpas e sim vontade e determinação para fazer acontecer, sem interrupções que não sejam verdadeiras, tá?

    Dona Constância sentou-se também, ao lado da Serenidade, enquanto Disciplina foi brincar com a madame Prática que estava no quintal pulando corda. Com um sorriso largo e contente me disse:
- Menino meu, estamos aqui pois você estava perdido e confuso com seu próprio mundo. São tantas informações e realidades diferentes das nossas que acabamos vivendo com a tecnologia, então nos esquecemos das simplicidades que resultam no nosso crescimento. Depois de tantos bons exemplos, quero que tenha sempre em mente que não importa o quanto pratique, cuide-se, descanse e tenha seriedade em suas atividades, é preciso ser constante. Nossa memória é tão curtinha, é preciso que estejamos sempre nos atualizando e relembrando do que já sabemos para firmar o conhecimento e expandir o espaço para que as novidades possam chegar, entrar e ser tão bem recebidas como nós fomos agora. Mente e corpo são uma constante construção, se você me entende?

    - Agora vamos deixá-lo descansar e absorver todo esse trabalho contigo mesmo, sem antes deixar dois recados de nossas amigas que não puderam vir. Agradeço a hospitalidade, fazendo minhas as palavras da querida Gratidão, que pediu para lembrá-lo de agradecer sempre o que você já tem e as bençãos do dia presente que vivemos. E também da senhora Esquecimento, ela pediu que você nunca esqueça-se do essencial, mas que deixe ela levar embora o que não mais faz sentido na sua vida. Aliás, pediu-me que levasse embora a Preguiça, porque ela viveu aqui já por muito tempo. Meninas, vamos indo? Já está tarde e ele tem de descansar, pois amanhã é um dia cheio de lembranças e promete muitas aventuras.
Deite-se e feche os olhos, nós apagamos a luz e trancamos a porta. Bom descanso menino. Tchau, tchau...

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!