Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

Como matar um anjo...

Numa tarde de segunda-feira eu descansava tomando uma garrafa de cerveja e curtia a brisa silenciosa de fim de primavera. De repete, na mesa ao lado, começou uma conversa de dois senhores de meia idade, ambos bêbados e muito certos do que diziam.

- Você acredita em anjus?
- Acredito! Anjo da guarda, anjo da graça, anjo guia, anjo da morte!
- Que tanto anjo, quê o que oh! Anjo é Anjo! Só isso.
- A gente num tem profissão, oh mané? Anjo também tem.
- Ah, é? Sabia não... Sabia não...
- Mas é! E muito! Muito mêmo!
- Mas a gente morre, né? E anjo?
- Anjo num morre mané! Anjo num morre.
- Morre sim. Ouvi dizê! Óia. Tem dois jeito.
O primêro, é tirá as asas deles. É. Isso. Daí eles vira mortal e morre!
O segundo, é matá eles cas arma deles. Com o que eles tem de sagrado.
É assim...
- Mas onde cê viu isso, seu maluco? Onde já se viu, matá anjo. E anjo vem pra cá!?
- Num vem? Claro que vem! OH!! Se vem.
- Cê já viu? Já viu anjo? Hein?
- Vi.... vi uai! Vi a Graziela! É um anjo!!
- HA. HA. HA. - Ele ria em pausas - Seu abestaiado!
- Mas é! É anja bunita! Anja linda pra casá! 
- Ainda acho que anjo não morre. Não morre, não.
- Sei lá!

E não disseram mais nenhuma palavra. Não pelos outros 40 minutos que aproveitei mesmo o silêncio de uma tarde com brisa de primavera. Dizem que quando fazemos silêncio numa mesa é porque passou um anjo. Talvez depois da conversa houvesse um fazendo guarda daqueles dois pobres coitados.
Ouvi dizer que o "matador de anjos" sempre contava essa mesma história por ali. E quando ele fazia, no outro dia, o ouvinte falecia. Talvez ele mesmo fosse um anjo, o anjo dos bêbados e dos bares, onde as pessoas iam afogar as mágoas e procurar um fim para sua história.
Talvez...
O que eu sei, é que anjos não morrem, não é mesmo?

Soul meet Death - ©2009-2015 TheBoyofCheese

2 comentários :

  1. Kkkk, adorei o conto, rsrsrs... já pensou depois de uma conversa dessas o ouvinte morre? Eu hem, rsrsrs...
    Parabéns...

    ResponderExcluir
  2. Eu o convido a postar o conto no blog Diário dos Escritores...
    Seja muito bem vindo.
    www.diariodosescritores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!